O ‘AB Saúde’ desta terça-feira (3) tirou dúvidas sobre câncer de pele. No estúdio do AB1, a dermatologista Brenda Jambo conversou com o apresentador Almir Vilanova sobre a doença.

TV Asa Branca: Existem vários tipos de câncer de pele?
Brenda Jambo:
Sim, existem principalmente os tipos de câncer de pele não melanoma, que é o mais frequente deles, e o melanoma. Dentre todos os tipos de câncer diagnosticados no mundo, o câncer de pele responde cerca de 30% dos casos, sendo o não melanoma mais frequente, que no caso são os tipos carcinoma basocelular e o carcinoma espinocelular.

TV Asa Branca: Existem fatores de risco que levem a um câncer de pele?
Brenda Jambo:
Principalmente a exposição solar, por isso se bate tanto na tecla de que a proteção deve ser utilizada desde a primeira infância, nas crianças devem ser sempre colocadas quando forem expostas ao sol, que não devem ser. Sempre é importante o uso do protetor solar, das roupas e proteção, que já vem preparadas com proteção UVA e UVB, barreiras físicas também como o guarda-sol, a sombra e não esquecer que não é somente essa exposição direta que causa dano na pele, tempos nublados também atingem a pele com os danos do raio solar.

TV Asa Branca: A lesão provocada pelo câncer de pele é dolorosa?
Brenda Jambo:
Não, geralmente a lesão não é dolorosa, ela pode ser pruriginosas, pode causar sangramentos e são só fatores que têm que prestar atenção. Quando a gente se refere ao melanoma, a gente tem didaticamente falando o “abcde do melanoma”, que é uma forma didática da gente alertar as pessoas dessas características. A letra “a” quando se refere à assimetria da lesão, então a gente divide o sinal com uma pinta em dois lados, e pedimos para observar se os lados são simétricos, a letra “b” é referente às bordas, bordas lenteadas e irregulares, chama a atenção também a coloração das feridas, que geralmente o melanoma possui várias cores na mesma pinta, marrom, castanha, avermelhada, até azulado ou branco, pode aparecer. A letra “d” é o diâmetro da lesão, quando ela atinge uma média de 6 milímetros, chama a atenção também, e a letra “e” é a evolução da lesão, se ela vem modificando o aspecto e tamanho ou se ela vem apresentando características que não apresentava anteriormente, no caso de prurigo e o sangramento e atenção também a não cicatrização, se formar a casquinha, sair uma secreção, não melhora nunca.

TV Asa Branca: Uma pessoa que trabalha em uma loja e sente o clima quente que vem do lado de fora, mesmo estando dentro da loja a pessoa pode ter câncer de pele por causa da temperatura?
Brenda Jambo:
Sim, não é apenas a exposição direto ao sol que pode causar o câncer de pele, o chão, a areia branca e a água também são refletores da radiação ultravioleta, então até a própria luz do ambiente, a TV, então é bastante importante o uso da proteção. Em ambientes fechados, o protetor, apesar do nome ser protetor solar, independente da luz ele deve ser utilizado, e abertos o protetor associado outras barreiras físicas também como chapéu, óculos escuro e o que mais puder dispor de proteção.

TV Asa Branca: Uma pessoa que trabalha vendendo produtos na rua, mesmo usando uma sombrinha grande, pode ter câncer de pele?
Brenda Jambo:
Pode sim, a sombrinha ajuda, mas até o guarda-sol que se usa na praia, sendo de nalho, também permite a passagem da radiação ultravioleta e a sombrinha é feita do mesmo material, então essa proteção é mínima, pode ajudar, mas é necessário usar o protetor solar.

TV Asa Branca: Depois que alguém é diagnosticado com câncer de pele, como é que fica o tratamento?
Brenda Jambo:
Depois do diagnóstico, quando já se procurou o profissional e falou da possibilidade de um câncer de pele, o diagnóstico é firmado após a intervenção cirúrgica, é nisso que entra a cirurgia oncológica, esse material, a pinta ou o sinal é removido e enviado para a biópsia, após o resultado se tem a certeza se tem um tipo de câncer ou não.

TV Asa Branca: O câncer de pele é muito agressivo? Pode matar?
Brenda Jambo:
Pode sim, principalmente o melanoma, é um tipo de câncer que pode enviar metástases, já o câncer de pele não melanoma, não tem tantas características de levar ao óbito, mas ele pode causar mutilações para a pessoa, a depender do tamanho, da infiltração.

'AB Saúde' fala sobre câncer de pele no 'Dezembro Laranja' — Foto: TV Asa Branca/Divulgação

‘AB Saúde’ fala sobre câncer de pele no ‘Dezembro Laranja’ — Foto: TV Asa Branca/Divulgação

Via: RSS Feed

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui